12 de junho de 2018

O ENCONTRO QUE TRANSFORMA NOSSA VIDA- Resumos do Roteiro do Grupo de Reflexão

Março de 2018 : O ENCONTRO QUE TRANSFORMA NOSSA VIDA
Equipe de Simonésia : Pe patrício e pe Raniel

Cuidemos de nós mesmos, do nosso encontro com Cristo



 ...Documento 107 da CNBB: "Iniciação à Vida Cristã: itinerário para formar discípulos missionários." O documento nos lembra que a iniciação cristã significa imersão em uma nova realidade. Esta realidade nova e inesperada, que introduz a pessoa no mistério de Cristo Jesus: em sua paixão, morte e ressurreição, ascensão, envio do Espírito Santo e retorno glorioso do Senhor...




 Hoje se evangeliza por atração



Na medida que as pessoas se aproximam de nós, e sentem que têm algo diferente em nós, a evangelização acontece. Cuidemos de nós mesmos, do nosso encontro com Cristo.O encontro que transforma a vida de todos os seres humanos é o encontro com a pessoa de Nosso Senhor Jesus Cristo. É sua palavra que há de guiar nossa Igreja e nossas famílias. Deixemo-nos ser conduzidos por Cristo. Porém, é necessário que tenhamos coragem e tempo para lermos(rezarmos) sua Palavra.  Jesus veio nos encontrar, para nos conduzir a Deus. O evangelho da Samaritana deixa isto bem claro para nós.  Jesus,  como missionário do Pai, se põe a caminho da Galileia, passando por Samaria. Esta foi uma atitude corajosa de Jesus: ir ao encontro dos samaritanos. Isto significa que Jesus foi se encontrar com aquelas pessoas sedentas do verdadeiro sentido da vida.

Cansado da viagem, Jesus se aproximou do poço. Logo chega uma samaritana



                                       Tudo sugeria um encontro constrangedor

Havia outros caminhos para chegar à Galileia. O mais comum era passar pelo Rio Jordão. Jesus poderia ter evitado aquela região de pessoas mal vistas. Porém, Deus deseja que seu Filho passe por lá e se encontre com aquelas pessoas, a fim de transformar suas vidas. Jesus não teve medo de encontrar-se com pessoas estranhas. Cansado da viagem, se aproximou do poço. Logo chega uma samaritana. Tudo sugeria um encontro constrangedor, no entanto Jesus se apresentou com sede. Pedir água significa pedir para ser acolhido. Todo ser humano, ainda que seja considerado uma pessoa desqualificada, tem um dom para receber e oferecer. Este dom se desperta, a partir do encontro com a pessoa de Jesus Cristo.


 A vida é feita de encontros

 Pensemos em nossa Família, Comunidade, amigos... tudo começou com um  encontro. A Família e a Igreja são que nos levam ao encontro de Jesus Cristo e nos proporcionam viver como cristãos na comunidade. Nós que temos consciência do nosso encontro com Jesus somos chamados a estar atentos para que nunca se esvazie o cântaro de nossa fé. Isto é possível, quando nos encontramos com Ele, diariamente,  na Palavra, no sacramento da Eucaristia e da Confissão... Não há ser humano que não encontre em Jesus a satisfação para seus anseios mais profundos, e Nele encontre o significado pleno de sua vida. 

                           Vida Cristã é Vida em Cristo


O encontro com Jesus nos leva a reconhecer nele o Messias. Ele nos faz abandonar uma vida de pecado e assumir uma vida nova, e enxergar no outro um irmão. A fé em Jesus nos leva a aceitá-lo, a segui-lo e a anunciá-lo, praticando sua Palavra dentro de casa, na Igreja e no mundo. Vida Cristã é Vida em Cristo. Como nos diz São Paulo: " Viver pra mim é Cristo" (Fl1, 21) Jesus zelava pela casa do Pai. Ser cristão é cuidar das coisas de Deus, pois tudo é mesmo do Pai.

....Tudo é do Pai
Toda honra e toda glória
É Dele a vitória
Alcançada em minha vida
Tudo é do Pai
Se sou fraco e pecador
Bem mais forte é o meu Senhor
Que me cura por amor...

11 de junho de 2018

UM ENSINAMENTO NOVO - Sequência dos resumos do Roteiro de Grupo de Reflexão


Janeiro de 2018 : Caminho de Iniciação à Vida Cristã – Equipe do Mobon: Denilson Mariano SDN

 O jeito de Jesus Evangelizar é um modelo para nossa catequese

 O jeito de Jesus Evangelizar é o modelo para nossa catequese. Ele ensinava na sinagoga do Templo, à beira do caminho, em casa, na beira do lago. Enfim evangelizava  a qualquer hora e em todo lugar. O jeito de Jesus evangelizar é pela presença, pelo testemunho, pela alegria de estar a serviço do reino do Pai. Jesus age de um jeito novo, diferente dos doutores que tinham muito conhecimento, mas não os colocavam em prática.



 Somente quem é livre pode assumir o seguimento a Jesus

 O Evangelho de Marcos Capítulo 1 Versículo 21 a 28 nos  conta que o homem estava na sinagoga, lugar de encontro da Comunidade. Lugar de estudar e celebrar a Palavra de Deus. No entanto, aquele homem estava possuído, não podia pensar  com a própria cabeça, nem decidir com a própria vontade. Estava escravizado, sua mente estava dominada. Jesus liberta esse homem para que ele possa agir por si mesmo. O primeiro milagre é fazer o homem voltar a consciência e recuperar a sua liberdade. Somente quem é livre pode assumir o seguimento a Jesus. Eis a novidade que Jesus apresenta: A Palavra de Deus é uma lei de Liberdade.



O ideal é que toda a Comunidade seja evangelizadora, responsável por iniciar outras pessoas no seguimento a Jesus Cristo

 Isto nos faz voltar a atenção para o processo de Iniciação à Vida Cristã. A comunidade toda é responsável pela evangelização e não apenas os seus ministros e dirigentes. Todo batizado deve assumir o seu compromisso de seguimento a Jesus Cristo. Faz parte deste compromisso despertar a fé em outras pessoas, motivar sempre a participação na vida da Comunidade, colaborar na catequese,participar dos grupos de reflexão, participar dos encontros de formação, envolver-se ativamente nas pastorais. O ideal é que toda a Comunidade seja evangelizadora, responsável por iniciar outras pessoas no seguimento a Jesus Cristo.
Na medida que todos se tornam corresponsáveis com ação evangelizadora, a comunidade cresce e se desenvolve

 A comunidade é como uma rede de pesca, coisa que todos conhecemos, os da roça e os da cidade. Na rede tudo está interligado. O puxão, em um lado, mexe com toda a rede. Na comunidade, se uma Pastoral ou um trabalho não vai bem, toda como toda a comunidade é prejudicada. Se a Catequese enfraquece a culpa não é só dos catequistas, mas de toda a Comunidade. Se as crianças ou os pais não se "comprometem" com a catequese dos filhos, todos somos responsáveis por ajudá-las n a caminhada da Catequese. E não apenas os catequistas. Na medida que todos se tornam corresponsáveis com ação evangelizadora, a comunidade cresce e se desenvolve .Eis o ensinamento novo que Jesus nos quer ensinar.



A reflexão da Palavra abre nossos olhos e nossa mente

 Formação constante é caminho de Iniciação à Vida Cristã ao  refletirmos a Palavra, em sintonia com o pensamento da Igreja e com a realidade da vida. A exemplo do que Jesus fez na sinagoga, as formações e os estudos  nos libertam para que possamos pensar e decidir com a nossa própria consciência e não simplesmente  pela cabeça dos outros. A reflexão da Palavra abre nossos olhos e nossa mente.



 Deus nos chama para o serviço de anúncio do evangelho e de defesa da vida.

 Que sejamos entusiasmados com nossa fé,com nossa igreja e tenhamos sempre a coragem de dizer Sim a Deus. 
Ele conta conosco!

10 de junho de 2018

Refletindo sobre o amor do Criador por Rosilene Silva Ávila/ da Equipe de coordenação de catequese -Sabinópolis



O amor de Deus pela humanidade é tão esplendoroso e ainda muito distante da nossa compreensão. Penso sempre neste amor e procuro analisar até onde eu já consigo compreendê-lo. Expressar esse “entendimento” não é tarefa fácil. O melhor mesmo é vivê-lo a cada segundo. Mas, amante que sou da arte das palavras, e consciente do meu dever (que neste momento já não entendo como dever e sim uma vontade que me toma) de espalhar a todos as boas novas, cá estou nesta ousada tarefa. E não pensem que desejo transformar em palavras, um amor que não se define, explicar o inexplicável ou medir o imensurável. Penso apenas em compartilhar, em multiplicar, em somar, em chamar de maneira independente e sem basear-me em qualquer teologia. Trata-se simplesmente do ponto em que a minha limitada capacidade de compreensão me permitiu chegar até agora.
Imagino Deus a gestar o ser humano, assim como uma mãe espera o seu primeiro filho. Tudo bem planejado, os mínimos detalhes pensados. O quarto recém construído, pintadinho de novo com as cores preferidas, as mantas, as fraldas, as roupinhas limpas, passadas e dobradas, o cheirinho de bebê por toda casa, todos os itens que serão necessários para os primeiros meses. A ansiedade pela nova vida que chegará, trazendo alegria para a casa, dando novo sentido à vida. Agora sim! A família teria um herdeiro! Os pais teriam alguém para auxiliá-los, para completarem a existência, para usufruírem desta vida maravilhosa!  Escolhem o nome, imaginam o filhote a andar, bater palmas, as primeiras palavras, a escola, a profissão.
Deus a esperar pelo ser humano preparou tudo com cuidado e sabedoria. A casa Terra, a água, os astros, as plantas e os outros seres vivos que completariam a nossa existência. Tudo estava pronto e muito bom! E por fim, chega o homem: a criatura mais esperada, amada e planejada. Uma máquina perfeita, que além de amar, é capaz até de...  pensar! 
E como o Pai se sente feliz por saber que seu filho é capaz de andar, falar, amar e ... pensar! E Deus percebeu que seu filho sentia-se só e o que um pai faria neste caso?  Vejam! Ele nos deu uns aos outros! Deu-nos irmãos! E que companhia há nessa vida que se compare a irmãos? Mas Deus ainda parecia distante para alguns dos nossos irmãos.
E mesmo com todos os sinais, muitos filhos não o reconheceram como pai, e não compreenderam o seu grande amor. E Deus se entristecia com isso. E todas as maravilhas colocadas à disposição da humanidade não foram suficientes para que nos aproximássemos Dele. Logo nós, que fomos tão esperados, tão festejados, tão cuidadosamente planejados! A humanidade começou a enveredar-se por caminhos tortuosos que a cada dia os afastava do Pai e consequentemente da felicidade.
E quantos planos Deus fez para nós! Ele que nos amou desde o início, amou-nos ainda mais ao perceber as nossas fraquezas. E novamente uma imagem de mãe me vem à cabeça. Um filho será sempre amado por sua mãe, independente de suas fraquezas, ou ainda mais por elas.
E Deus nos amou ao ponto de se fazer presente no meio de nós. Ele que é Deus, criador de todas as coisas, possuidor de toda a sabedoria do universo, fez-se pobre, humilde, carpinteiro. Para que? Para estar junto de nós, para falar de uma maneira que nós pudéssemos compreender. E como uma mãe que se abaixa à altura de seu filhinho pequeno para compreendê-lo e se fazer compreender por ele, Jesus Cristo nos pega pela mão e nos conduz ao caminho da vida plena: Amar ao próximo, como a nós mesmos, vivermos em harmonia com os nossos irmãos. Parece tão simples! Não seria isto a realização de qualquer mãe? Ver seus filhos vivendo em paz, dividindo bens, se ajudando, se amando.
E esta lição eu ainda continuo tentando aprender na prática e sei que Deus nunca me abandonará, porque me ama mais que a minha própria mãe e um amor assim é realmente inexplicável, indefinível e imensurável, e é um amor que eu jamais quero deixar de sentir, porque me completa, me edifica, me constrói e me reconstrói.

Rosilene Silva Ávila
Professora , catequista e membro da Equipe de coordenação paroquial de Sabinópolis

6 de junho de 2018

ACREDITAR NA BOA NOVA - Resumo - Roteiro do Grupo de Reflexão

Janeiro de 2018 : Caminho de Iniciação à Vida Cristã – Equipe do Mobon: Denilson Mariano SDN


Não basta descobrir os sinais de Deus, é preciso tomar atitudes, é preciso colocar a vida a serviço do Reino de Deus...

Jesus lê os acontecimentos da história. Ele percebe a vontade do Pai, através dos acontecimentos. Mas não basta descobrir os sinais de Deus, é preciso tomar atitudes, é preciso colocar a vida a serviço do Reino de Deus.Conversão é ser capaz de mudar os rumos da própria vida é ser capaz de mudar as escolhas que fazemos. Conversão é também buscar meios e alternativas para mudar os rumos da história. O convite ao seguimento de Jesus nos leva a um compromisso com a Sua pessoa.



Ser cristão não é apenas entender algumas partes da escritura e começar a pregar para os outros. Ser Cristão é fazer nossas as atitudes de Jesus na igreja e na sociedade.

 Através do texto bíblico Marcos 1, 14 a 20, nós podemos constatar que com a morte de João Batista, Jesus percebe que é chegada a hora de sair do anonimato e assumir a vida pública. Ele começa a percorrer os povoados, anunciando a chegada do Reino e conclamando a todos para a conversão. Para essa missão, Jesus escolhe um grupo de doze discípulos, que serão os seus continuadores. Aqueles que serão enviados aos locais aonde o próprio Jesus devia ir. Ser cristão não é apenas participar de celebrações litúrgicas, ser cristão não é apenas receber os Sacramentos da igreja. Ser cristão não é apenas entender algumas partes da escritura e começar a pregar para os outros. Ser Cristão é fazer nossas as atitudes de Jesus, na igreja e na sociedade.



 A catequese é uma importante luz de Deus, em nossas em nossas comunidades

 Quando usamos uma lanterna nós aprontamos o seu foco, a sua luz, para aquilo que queremos ver. Ninguém vira o foco de uma lanterna para os próprios olhos, pois aí é que os olhos não darão conta de enxergar. A catequese é uma importante luz de Deus, em nossas comunidades. Ela é como uma lanterna, que tem a missão de ajudar a pessoa a clarear o caminho de seguimento a Jesus Cristo. 


É grande o número dos que receberam os Sacramentos e se afastaram da vida de fé

No entanto, há uma dificuldade muito comum em nossa catequese. O foco da catequese, o seu raio de luz, tem ficado preso aos Sacramentos. |O catequista fica mais preocupado/a em preparar seus catequizandos para a Primeira Eucaristia e para Crisma.  Ele não concentra a luz da Catequese no seguimento a Jesus Cristo. Daí que muitos abandonam a comunidade depois de receber o Sacramento.Quando a catequese se orienta mais para o Sacramento do que para o seguimento a Jesus, muitas pessoas abandonam a comunidade depois de receber os Sacramentos. É grande o número dos que receberam os Sacramentos e se afastaram da vida de fé. Muitas vezes a Comunidade prepara os pais para batizarem os filhos, mas não os prepara para perseverar na comunidade. Assim, muitos recebem o Batismo, mas não caminham com a Comunidade. Se continuar assim, a Igreja terá dificuldade ainda maior para continuar a missão que Jesus lhe confiou. 

A Comunidade é a fonte, o lugar e a meta da catequese

O foco da Catequese tem de ser sempre a vida da Comunidade. A Comunidade é a fonte, o lugar e a meta da catequese. Sem comunidade não há como viver a experiência Cristã. Sem comunidade não há como perseverar no seguimento a Jesus Cristo. Por isso é urgente redirecionar o foco da Catequese. A Catequese não pode pensar apenas em preparar as pessoas para o Sacramento. A sua tarefa é preparar a pessoa para o seguimento a Jesus através da vida de comunidade.





[
Postagens mais antigas Página inicial
Copyright © Catecom - Catequese Diocese de Guanhães | Suporte: Blogger