25 de setembro de 2014

Sétimo Dia da Novena São Miguel:Quando Deus vem até nós, Ele vem para nos servir.A força do seu poder está no amor.

Comentário: O tetrarca Herodes  ouviu falar de Jesus . Ele ficou apreensivo e muito preocupado, simplesmente porque percebeu que o Mestre de Nazaré, não estava sob seu controle. Herodes queria de fato ver e conhecer Jesus, mas para poder manipulá-lo, ditar-lhes as normas, enfim tê-lo sob controle e domínio. É  o homem do nosso tempo, querendo enquadrar Deus, Jesus e o seu evangelho.
Boa- noite! Seja bem-vindo! Seja bem-vinda! 7º Dia da Novena.

                             Reflexão:
                       Diálogo com participação da assembléia
Pessoa 1: Muitas vezes o homem da pós-modernidade também ouve falar de Jesus e tem até o desejo de conhecê-lo e colocá-lo entre os seus principais bens de consumo, Jesus o Filho de Deus, Nosso Único Deus e Senhor, Aquele que tem sob seu domínio todas as coisas, seres e criaturas, torna-se o Deus da conveniência, dos favores especiais, monopólio de alguém, de um grupo ou de uma Igreja ou Religião.
Pessoa 2:  Continuando a nossa reflexão sobre a exortação do nosso papa Evangelii Gaudium: A fé católica de muitos povos encontra-se hoje perante o desafio da proliferação de novos movimentos religiosos, alguns tendentes ao fundamentalismo e outros que parecem propor uma espiritualidade sem Deus.
Pessoa 1: O processo de secularização tende a reduzir a fé e a Igreja ao âmbito privado e íntimo.
Pessoa 2:O individualismo pós-moderno e globalizado favorece um estilo de vida que debilita o desenvolvimento e a estabilidade dos vínculos entre as pessoas e distorce os vínculos familiares.
Pessoa 1:A alegria do Evangelho é tal que nada e ninguém no-la poderá tirar (cf. Jo 16, 22). Os males do nosso mundo – e os da Igreja – não deveriam servir como desculpa para reduzir a nossa entrega e o nosso ardor. Vejamo-los como desafios para crescer.
Assembleia: A ação pastoral deve mostrar ainda melhor que a relação com o nosso Pai exige e incentiva uma comunhão que cura, promove e fortalece os vínculos interpessoais.
Pessoa 1:Enquanto no mundo, especialmente nalguns países, se reacendem várias formas de guerras e conflitos, nós, cristãos, insistimos na proposta de reconhecer o outro, de curar as feridas, de construir pontes, de estreitar laços e de nos ajudarmos «a carregar as cargas uns dos outros» (Gal 6, 2). Além disso, vemos hoje surgir muitas formas de agregação para a defesa de direitos e a consecução de nobres objetivos.
Pessoa 2: Deste modo se manifesta uma sede de participação de numerosos cidadãos, que querem ser construtores do desenvolvimento social e cultural.
Pessoa 1:  Além disso, o olhar crente é capaz de reconhecer a luz que o Espírito Santo sempre irradia no meio da escuridão, sem esquecer que, «onde abundou o pecado, superabundou a graça» (Rm 5, 20). A nossa fé é desafiada a entrever o vinho em que a água pode ser transformada, e a descobrir o trigo que cresce no meio do joio.
Assembleia: Que com esta Novena, nós nos conscientizemos, cada vez mais, da nossa missão  de apresentar Deus àqueles que ainda não o reconhecem como o Deus do serviço e que a força do seu poder  está no amor.





























































0 comentários:

Postar um comentário

 
Design WordPress | Desenvolvido por JAM - José Miranda | CATECOM