23 de setembro de 2014

5º Dia da Novena de São Miguel:Não basta escutar a Palavra; é necessário cumpri-la, se queremos ser membros da família de Deus.

                       
Comentário: Que bom estarmos juntos para mais um dia da Novena do nosso padroeiro! O tema deste dia é: Não basta escutar a Palavra; é necessário cumpri-la, se queremos ser membros da família de Deus.  Temos de pôr em prática aquilo que Ela nos diz! Jesus revela-nos de que precisamos, também nós, para chegar a ser seus familiares: Aqueles que ouvem...(Lc 8,21) e, para ouvir é necessário que nos aproximemos, tal como os seus familiares, que chegaram até onde Ele estava.

         Reflexão:
                       Diálogo com participação da assembléia
Pessoa 1: Não basta sermos repetidores de um texto bíblico; é preciso que assimilemos a mensagem e a coloquemos em prática.
Pessoa 2:  Conforme o papa Francisco,ao lermos as Escrituras, fica bem claro que a proposta do Evangelho não consiste só numa relação pessoal com Deus. E a nossa resposta de amor também não deveria ser entendida como uma mera soma de pequenos gestos pessoais a favor de alguns indivíduos necessitados...
Pessoa 1: O que poderia constituir uma «caridade por receita», uma série de ações destinadas apenas a tranquilizar a própria consciência.
Assembleia: A proposta é o Reino de Deus (cf. Lc 4, 43); trata-se de amar a Deus, que reina no mundo. Na medida em que Ele conseguir reinar entre nós, a vida social será um espaço de fraternidade, de justiça, de paz, de dignidade para todos.
Pessoa 1: Por isso, tanto o anúncio como a experiência cristã tendem a provocar consequências sociais. Procuremos o seu Reino: «Procurai primeiro o Reino de Deus e a sua justiça, e tudo o mais se vos dará por acréscimo» (Mt 6, 33).
Pessoa 2: O projeto de Jesus é instaurar o Reino de seu Pai; por isso, pede aos seus discípulos: «Proclamai que o Reino do Céu está perto» (Mt 10, 7).
Pessoa 1:O Reino, que se antecipa e cresce entre nós, abrange tudo, como nos recorda aquele princípio de discernimento que Paulo VI propunha a propósito do verdadeiro desenvolvimento: «Todos os homens e o homem todo». Sabemos que «a evangelização não seria completa, se ela não tomasse em consideração a interpelação recíproca que se fazem constantemente o Evangelho e a vida concreta, pessoal e social, dos homens».
Pessoa 2: É o critério da universalidade, próprio da dinâmica do Evangelho, dado que o Pai quer que todos os homens se salvem; e o seu plano de salvação consiste em «submeter tudo a Cristo, reunindo n’Ele o que há no céu e na terra» (Ef 1, 10). O mandato é: «Ide pelo mundo inteiro, proclamai o Evangelho a toda criatura» (Mc 16, 15), porque toda «a criação se encontra em expectativa ansiosa, aguardando a revelação dos filhos de Deus» (Rm 8, 19).
Pessoa 1: Toda a criação significa também todos os aspectos da vida humana, de tal modo que «a missão do anúncio da Boa Nova de Jesus Cristo tem destinação universal. Seu mandato de caridade alcança todas as dimensões da existência, todas as pessoas, todos os ambientes da convivência e todos os povos.  «Sereis felizes se o puserdes em prática» (Jo 13, 1

Assmbleia: São Miguel, ajude-nos    para que possamos ouvir  a Palavra de Deus, e como Maria , a mãe de Jesus , colocá-la em prática. 



















































































































































                              

0 comentários:

Postar um comentário

 
Design WordPress | Desenvolvido por JAM - José Miranda | CATECOM