14 de janeiro de 2015

Agentes de pastoral estudam teologia catequética

Desde o dia 4 de janeiro está acontecendo em Belo Horizonte, o curso de especialização em Catequética, oferecido pelo Regional Leste II da CNBB em parceria com a PUC-MG. Da diocese de Guanhães participam a catequista Genésia, de Sabinópolis, que cursa o IV e último módulo; e André, seminarista diocesano do 4° Ano de Teologia, que cursa o II módulo. O IV módulo concluiu as aulas de escatologia com a Irmã Rosana, e já estão tentando aulas de “catequese com pessoas com deficiências.” Genésia fala de sua experiência nesses dias: “Quando vamos falar de escatologia temos muito medo de falar da morte. Mas quando deparamos com a disciplina catequese junto as pessoas com deficiências percebemos que as vezes matamos as pessoas. Por exemplo: exclusão do grupo de catequese. A cada módulo fico mais encantada com o IRPAC”
O II módulo concluiu as aulas de Introdução à Bíblia com o professor Jacil. André faz uma reflexão sobre os principais assuntos das aulas: “A Bíblia é um livro sagrado, nela estão narradas as experiências de fé que o povo fez e continua fazendo com Deus ao longo da história. Não foi Deus quem escreveu a Bíblia. É a forma humana de contar seu encontro com Deus, sob inspiração do Espírito de Deus em muitos momentos da história da salvação, porém, nem todos estão na Bíblia. Os livros foram escritos por uma pessoa ou uma comunidade a partir da experiência de Deus que fizeram. Trata-se de vários assuntos e foi se constituindo em etapas, começando com tradições orais passadas de pais para filhos, até se firmar em documento escrito. É Palavra de Deus enquanto experiência de fé e inspiração divina para escrever o texto. A Bíblia nasce da experiência de Deus feita por Abraão e desenvolve-se com a história do povo de Deus, do Êxodo aos escritos de João que são os últimos canônicos. Portanto, para compreender melhor a Bíblia é preciso ter ao menos três olhares diferentes, de forma conjunta, ao ler e rezar um texto bíblico. Olhar histórico-cultural: É necessário procurar entender qual o contexto histórico e cultural que o povo vivia na época em que o texto foi escrito. Olhar literário: Cada autor ou comunidade tinha alguns estilos ou formas literárias de escrever. Portanto, não se pode deixar de perceber qual é a linguagem usada no texto. Olhar teológico (de fé): É buscar compreender qual a mensagem de fé que está por detrás do contexto histórico e do olhar literário. Há sempre no fundo essa intenção teológica, ou seja, ajudar a pessoa de fé a dialogar com Deus, a acolher no coração o que Ele pede, a agradecê-lo por seu amor que cria e salva, a louvá-lo pelas bênçãos de cada dia e a pedir a Ele que continue abençoando e protegendo a caminhada humana.”







1 comentários:

Roberto Magno disse...

Parabéns André e Genésia! Abraço!

Postar um comentário

 
Design WordPress | Desenvolvido por JAM - José Miranda | CATECOM